Escolha uma Página
 Copie sim o amor que eu sinto… Mas faça isso da sua maneira, do seu jeito especial de ser. Cada pessoa é única em seus valores, crenças, predicados… Cada pessoa é única em seu verbo viver. Eu sou fonte de amor e alegria e você também é. Você tem dentro de si todos os recursos. Escrever é a maneira que eu sei, desde de sempre, de expressar o que eu sinto na alma, o que eu sinto no coração… Tenho o coração na ponta dos dedos.Tenho a comunicação com o mundo externo através dos dedos. Nunca falei direito com a boca. Eu falo com o olhar, eu falo com a poesia, eu falo em melodia. E se você gosta, se te inspira, eu fico muito feliz por estar fazendo a minha parte, de estar tocando corações.  Mas a autora aqui gosta dos créditos para seus dedinhos baterem ainda mais feliz nas teclas. Eu não me importo de ser copiada, mas plagio é crime gente, crime contra si mesmo, contra toda a criatividade que deve existir em algum lugar aí dentro.
Esta semana meu blog foi plagiado, e as minhas fotos pessoais também. As fotos eu achei um pouco demais. Me senti invadida. Os textos, sinceramente eu não me importo, porque eu escrevo pra vocês… Porque eu ainda hei de escrever muito mais pra vocês.Porque é pra vocês. Porque eu ainda hei de lançar um livro pra vocês. Então se você gosta, quer fazer um blog, sim, esse é o primeiro passo, começar a ler as pessoas que você mais admira, juntar tudo isso e criar um jeito seu de escrever. Eu certamente sou muito Clarice Lispector, Martha Medeiros que muito me inspirou, Tati Bernardi, Carpinejar, Veríssimo, Caio Fernando de Abreu, Vinícios de Moraes,Chico Buarque, Fernando Pessoa, Nelson Rodrigues,Cecília Meireles, Shakespeare,  Mário Quintana, Drumond , Saramargo e outros tantos autores que gravaram em mim sua poesia, seus contos, suas crenças…me tocando a alma, mudando meu olhar sobre o mundo. Fazendo de mim muito do que eu sou hoje. 
Mas cuidado com o plagio, pegue um pouco de mim e misture com você. Me leve, me leia, me escreva nas suas entrelinhas e linhas… Mas por favor, me deixe inteira. Porque eu serei sempre eu, e as minhas linhas serão sempre eu. Faça você, seja você.
>