fbpx
Escolha uma Página

A palavra mandala, em sânscrito, quer dizer círculo e representa a relação entre o micro (homem) e o macrocosmo (Universo), sendo um símbolo da integração e da harmonia. É a partir do centro que tudo se expande. Sua origem remonta ao século VIII a.C. e ela é usada como instrumento de concentração e também contribui para que sejam atingidos estados superiores de meditação.

Com os povos a utilizavam

Ela está associada ao budismo, ao hinduísmo, ao yoga, à meditação e se propagou através da cultura Oriental, mas também podemos observar diversas culturas antigas que a utilizaram como elemento de integração, unidade e harmonia. Há relatos que nativos norte-americanos, civilizações andinas e povos pré-colombianos usavam este símbolo poderoso e sagrado em práticas de oração, meditação e cura.

Os monges tibetanos e os índios Navajos criam suas mandalas em um ritual de areia para demonstrar a impermanência da vida, baseados nos conhecimentos de Heráclito (Panta Rei, tudo muda).

As civilizações Maia e Asteca também utilizavam mandalas em seus calendários circulares, que funcionavam como um dispositivo de cronometragem e expressão religiosa.

O Poder das Cores

Em geral, elas são coloridas e a predominância de uma cor vai guiar as sensações de quem a está vendo ou sentindo. O azul, por exemplo, traz paciência, serenidade, otimismo e confiabilidade, mas também pode diminuir a insônia e o estresse. O verde energiza o corpo e contribui para o equilíbrio e a calma. Já o vermelho é estimulante e capaz de afastar sentimentos depressivos e desanimadores. Há também o amarelo, que auxilia nos processos criativos e incita a inteligência, pois age em processos mentais.

Também auxiliam na espiritualidade

Para aqueles que precisam de regeneração e coragem, usar o laranja é uma ótima opção. E quem necessita desenvolver a espiritualidade ou limpar o ambiente pode apostar na cor violeta. Na sequência, podemos citar a rosa, que é a cor da união e do amor, porque a energia emanada por ela ajuda a promover a harmonia entre os relacionamentos tanto pessoais ou profissionais. A cor marrom está relacionada à terra, sugerindo estabilidade, solidez e segurança.

Mesmo trazendo à tona nossas sombras, a preta tem a sua função e importância. Ela pode também representar tradição, nobreza, superioridade e profissionalismo, remetendo à elegância e à formalidade ou estar ligada ao fim de algo, à tristeza, à morte e ao medo. Por outro lado, a branca é a cor da pureza e da clareza, simbolizando a paz, a inocência e a simplicidade. Ela traz a sensação de honestidade e pode ser associada à perfeição.

Símbolos mágicos

Por meio de suas formas simétricas, elas nos possibilitam maior organização física, mental e emocional. Estudos científicos revelam inclusive que elas atuam simultaneamente nos hemisférios esquerdo e direito do cérebro, ou seja, promovem um equilíbrio entre razão e emoção. Esse símbolo sagrado universal também amplia a reconexão com o nosso interior, contribuindo para o maior autoconhecimento e bem-estar. Há inclusive vários exemplos delas na natureza!

Efeitos no inconsciente

Além de serem lindos ornamentos, as mandalas atuam em nosso inconsciente e ajudam nos processos de cura, porque promovem diversos benefícios, como foco, criatividade, concentração, autoconhecimento e desenvolvimento intuitivo e espiritual.

Há quem acredite e considere-as como grandes portais energéticos, visto que representam diferentes aspectos do Universo. Para os estudiosos do Feng Shui, o Ba-guá também é uma mandala, assim como o símbolo do Ying e Yang.

Além de as mandalas contribuírem para clarear e fortalecer aspectos da personalidade que precisam vir à tona, elas também refletem no campo vibracional de quem as observa, promovendo uma sensação de bem-estar, plenitude e fluidez.

Essência

Vale destacar que, quando estamos conectados com a nossa essência, somos capazes de superar obstáculos, crescer e desenhar a nossa própria vida.

Para mudarmos é preciso ter consciência, sobretudo de quem somos, do que pensamos, de como agimos, de como acolhemos a nós mesmos e também ao próximo. Somos criadores da nossa realidade e temos o poder de nos harmonizar com a magia da vida, porque o todo está em mim e eu faço parte do todo, assim como você! Qual mandala ou quais mandalas você vai criar em sua vida? Quais círculos sagrados você se permitirá realizar? Namastê!

>