fbpx
Escolha uma Página

Olá amados!

Os animais são seres com os quais a gente convive e realmente precisam de atenção e cuidado. As manifestações de ordem afetiva e psíquica são comuns nos animais, porque eles possuem sentimentos análogos aos dos seres humanos. Esse olhar atento também deve ocorrer em relação a doenças psicológicas e àquelas de saúde física. A médica veterinária Juliana Pletsch explica que, em virtude de esses seres divinos terem as mesmas emoções que nós, humanos, eles precisam ter oportunidade para expressá-las para terem inclusive, de acordo com cada espécie, comportamentos mais adequados e saudáveis.

A especialista compartilha conosco uma questão muito linda e curiosa. Conforme Juliana, esses amados seres de luz estão conosco em nossa caminhada e jornada evolutiva e muitos deles são amigos do homem, ou seja, trocam afetividade e carinho. Eles também, muitas vezes, integram terapias assistidas e auxiliam nos tratamentos com pessoas doentes ou com algumas deficiências, aliviando esse processo de vida. Atuando como animais-terapeutas também ajudam crianças especiais, cegos, surdos, enfim, uma série de situações em que contribuem para a vida do homem. De acordo com Juliana, “na realidade o que acontece é uma troca”. Eu também acredito nisso! Assim como o homem é beneficiado, os animais também são por meio de uma interação de carinho e de afeto.

Vivendo em harmonia e cooperação 

Juliana aborda um outro fato que devemos rever e reavaliar a partir da perspectiva de que devemos viver em “cooperação” e não mais permitir que os animais sejam abandonados. A médica veterinária observa que, nessas condições, aqueles que vivem nas ruas são privados de alimento, de água e de abrigo. Ela ressalta que também as suas necessidades básicas não são atendidas, porque eles não recebem carinho, afeto, alimentação e os merecidos e devidos cuidados.

A médica veterinária também lembra que, cada vez mais, as pessoas adquirem animais como pets, tanto cães e gatos, que são os convencionais, talvez pela agitação da vida moderna, porque vivemos com muitos compromissos e nos falta tempo para nos relacionarmos com os outros, além de um status, muitas vezes traz o ser humano a um isolamento e são os animais que também ajudam a diminuir a falta de afetividade ou até mesmo a solidão que existe no ser humano hoje.

Compartilhamos uma trajetória evolutiva 

Na avaliação da especialista, os animais seguem uma jornada existencial assim como cada um de nós e, por isso, temos sim uma parcela de responsabilidade quanto à trajetória evolutiva. Muito mais do que servirem como companhia, eles também são oportunidades para o exercício das nossas virtudes e das nossas potencialidades. Com eles, podemos aprimorar ou resgatar a paciência, a compaixão, a afetividade, a calma, o amor, a prudência, a responsabilidade e muitas outras. Às vezes, por falta de sensibilidade não nos damos conta dessa sorte que temos para praticar também a caridade.

Muitas pessoas abandonam ou maltratam os animais, porque não possuem o conhecimento do que eles realmente são e qual a função e o papel deles neste mundo. Com a prática da adoção de animais que vem de rua ou que são abandonados ou maltratados, além de exercermos o altruísmo e nos doarmos a esses seres, também deixamos de estimular o comércio a partir da criação de raças e cruzamentos. “Muitos animais vem de criadouros ainda, por incrível que pareça na época em que estamos, em 2020. Ainda temos infelizmente esses espaços que não atendem às exigências dos animais. Eles são criados de qualquer forma para a venda e muitos passam sim por sofrimento e maus tratos”, alerta.

Mais amor, zelo e positividade

Por isso, amados, vamos nos unir cada vez mais para espalhar amor e bondade a todos os seres que habitam o planeta Terra e emanar luz e energias positivas, porque, dessa forma, estaremos contribuindo para a elevação e a cura de toda a humanidade! Salvem os animais! Hoje, 14 de março, é o dia deles! Vamos respeitá-los e zelar por eles! Namastê!

>